Açores

Açores



É difícil imaginar um lugar mais adequado do que os Açores para os amantes da natureza, fãs de desportos de aventura ou para quem procura um ponto de referência em termos de sustentabilidade. Os Açores são um arquipélago de nove ilhas vulcânicas no Oceano Atlântico, com margens íngremes e rochosas e lagos de cratera. Vale a pena visitar cada um deles. As ilhas têm paisagens muito diversificadas. A maior delas é São Miguel, onde está Ponta Delgada, a capital da Região Autónoma dos Açores. As outras são Santa Maria, Flores, Corvo, Faial, Pico, São Jorge, Graciosa e Terceira. Noventa e cinco por cento do território dos Açores é uma colcha de retalhos de áreas protegidas e reservas marinhas. Se você é adepto de longas caminhadas, gosta de se competição em trilhos, ciclismo, jipe, parapente, equitação, canoagem, caiaque, vela ou outros, você vai adorar os Açores. É possível fazer diferentes rotas em terra, na água e no ar, e com diferentes níveis de dificuldade. Os Açores contêm dois dos 15 locais que em Portugal estão classificados como Património Mundial pela UNESCO: as vinhas do Pico e a cidade velha de Angra do Heroísmo, na Terceira. E também três reservas da biosfera: Graciosa, Flores e Corvo.

Embora muitos não mostrem vida há séculos, existem 26 vulcões ativos nos Açores, oito dos quais são submarinos. Apenas em Santa Maria não há qualquer vulcão ativo. O terceiro maior vulcão do Atlântico, a Montanha do Pico, está na ilha com o mesmo nome.

Existem mais de sessenta e seis lagos para visitar, admirar e nadar. Esses testemunhos de actividade vulcânica são lindos e têm águas claras, profundas, doces ou salgadas, cercadas por flores, florestas ou fumarolas. A Lagoa das Sete Cidades e a Lagoa do Fogo, ambas em São Miguel, são os símbolos mais notáveis ​​dessa maravilha natural. Em todas as ilhas, existem miradouros, que permitem apreciar paisagens absolutamente deslumbrantes. Desfrute o Miradouro da Boca do Inferno, de onde podem ser observados outros lagos.

Outro resultado da actividade vulcânica no arquipélago são os banhos termais, nas piscinas naturais de água quente ricas em minerais que são uma maravilha para mergulhar, algumas delas abertas em qualquer época do ano. Existem nascentes com água a cerca de 30º, mas as temperaturas variam entre 60º e 100º. O Poço da Dona Beija, nas Furnas, em São Miguel, desvia a água natural de um riacho e tem cinco piscinas naturais, uma delas com cascata. As nascentes termais geotérmicas tornam as ilhas uma escolha natural para umas férias de bem-estar.

Os Açores são um dos maiores santuários de baleias do mundo, onde é possível ver mais de vinte espécies diferentes, um terço de todas as existentes. As espécies mais fáceis de observar são os cachalotes, as baleias azuis e as baleias comuns. Também existem comunidades residentes de golfinhos comuns e golfinho-nariz-de-garrafa. Compre um passeio de barco para avistar baleias e golfinhos.

Em 2018, os Açores tiveram 39 praias premiadas com a distinção Qualidade de Ouro pela Quercus-Associação Nacional de Conservação da Natureza. Este prémio não se refere à sua incrível beleza, mas à excelente qualidade das águas. Em termos de beleza, você pode encontrar praias virgens com areia branca e fina e praias de areia escura. De facto, nos Açores a cor da areia varia muito, desde tons muito claros (como creme) a cinzento-escuro, esverdeado ou avermelhado, devido à presença de minerais como olivina ou faialite.

Os amantes do vinho também encontrarão algo nos Açores. Na ilha do Pico, desde o século XV que é produzido vinho, embora pareça que as ilhas vulcânicas não podem criar condições para a produção de vinho. As casas e muros em pedra contruídos há vários séculos para defender as vinhas dos fortes ventos do Atlântico e das ondas de água salgada ainda podem ser vistas hoje na região vinícola de Criação Velha, no município de Madalena, classificada como Património Mundial da UNESCO. As ilhas Terceira e Graciosa também abrigam vinhedos para a produção de vinho branco.